Lanche Bauru agora é patrimônio imaterial do Estado de São Paulo

Título virou lei, sancionada no fim de 2018 pelo ex governador Márcio França

Pão francês, tomate, rosbife e queijo derretido são só alguns dos ingredientes que você encontra no tradicional Bauru. O lanche, criado por um bauruense na década de 1930, aos poucos conquistou o país e ganhou espaço cativo em cardápios de lanchonetes.

O nome vem do apelido que Casemiro Pinto Neto, então estudante de Direito da USP, ganhou, fruto de sua origem. Diz a história que foi ele quem propôs a receita ao chef do restaurante Ponto Chic, na capital paulistana, pois queria um lanche especial.

Tamanho foi o sucesso que, cerca de 90 anos após sua criação, a receita se tornou patrimônio imaterial do Estado de São Paulo. A lei 16.914, foi criada pelo deputado Celso Nascimento (PSC) e sancionada pelo ex governador Marcos França em 28 de dezembro de 2018. A receita citada na lei leva pão francês, rosbife, tomate, picles de pepino em rodelas, mussarela, orégano e sal. Ela já havia sido registrada em 1998, com uma lei municipal na cidade de Bauru (SP).

Deu vontade de fazer um Bauru em casa? Veja aqui a variação publicada no livro Básico.