Cateto

Tayassu tajacu

“PORCO BRAVIO, CARNE COM SABOR de selva e liberdade”: assim o escritor Jorge Amado define o cateto no romance Dona Flor e seus Dois Maridos. Conhecido como caititu no Nordeste e no Centro-Oeste – ou como caitatu, porco-do-mato brasileiro e pecari –, esse animal silvestre tem a carne rosada, levemente adocicada e com baixo teor de gordura (30% a menos do que a carne suína), por isso tende a ser mais seca. Melhor assar em baixa temperatura e bem lentamente. Há criadores em todas as regiões do país, sobretudo no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O cateto é diferente da queixada, outro tipo de porco selvagem de porte maior, que exibe uma faixa de pelos brancos ao redor do pescoço e possui a carne mais vermelha e de gosto mais forte.