Chef do Instituto Brasil a Gosto é mentor em projeto da Escola de Gastronomia Social, de Fortaleza

Ser chef não é apenas cozinhar e pensar novas receitas. É também pesquisar ingredientes e técnicas e criar produtos – pelo menos aqui no Instituto Brasil a Gosto. Justamente por isso, Thiago de Andrade, chef à frente do Instituto, está em uma ponte aérea São Paulo – Fortaleza, capital do Ceará, desde dezembro de 2018. Thiago é um dos mentores do Laboratório de Criação em Gastronomia, da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco. Ele está orientando a aluna Rafaela Yngred Pontes Medeiros no desenvolvimento de um produto sustentável com insumos da região. O resultado final do programa será anunciado no dia 31 de janeiro.

O convite para participar dessa iniciativa surgiu pouco tempo depois que a coordenadora e a diretora da escola conheceram o Instituto fundado por Ana Luiza Trajano em uma viagem a São Paulo. “Quando elas iniciaram o projeto, Lina (Luz) e Selene (Penaforte) lembraram do Instituto e entraram em contato com a gente. Foi aí que me convidaram para ser um dos quatro mentores das pesquisas aprovadas”, diz Thiago.

Em Fortaleza, o trabalho do chef é fica entre ensinar, monitorar e acompanhar um projeto gastronômico na área de confeitaria, com foco na cultura do Ceará. A aluna mentorada por Thiago, Rafaela, está trabalhando com melado de cana e coco, insumos oriundos de Pedra Branca (CE), sua cidade natal.

A ideia é que o produto desenvolvido no Laboratório beneficie a comunidade da cidade. “Queremos trazer impacto social para Pedra Branca, que tem uma tradição na manufatura de melaço de cana. Por conta da grave seca enfrentada pela região nos últimos 10 anos, os engenhos caíram um pouco em decadência. Agora, queremos ajudar a retomar a cultura da produção local”, diz Thiago.