Dona Lucinha: culinária brasileira perde uma grande referência

A cozinheira, que morreu no último 9 de abril, foi símbolo da comida mineira

Rafaela Polo

Se você ama comida mineira, mesmo vivendo longe de Minas Gerais, deve ao menos um pouco dessa paixão a Dona Lucinha. A cozinheira, que morreu na última terça-feira (9/4), aos 87 anos, foi um dos maiores nomes da comida mineira no país.

Pelo Instagram, o restaurante que levava o nome dela deu a notícia da morte pelas redes sociais. “‘O primeiro ingrediente que se põe na panela é o amor’. Mãe, esposa, amiga, professora, empresária de sucesso e orgulhosamente mineira, tudo isso descreve um pouco do que Dona Lucinha representa. Hoje, 09/04/2019, ela nos deixa. Minas Gerais e sua culinária típica perdem um de seus maiores nomes.Ficam conosco seus ensinamentos, causos, sorriso e, claro, sua maior marca: AMOR! Descanse em paz, Maria Lúcia Clementino Nunes”, publicou o perfil @donalucinhamatriz.

Dona Lucinha sofria do mal de Alzheimer e, segundo sua filha informou ao site G1, a doença se agravou nos últimos meses. Ela já foi tema de samba-enredo do Rio de Janeiro, ganhou prêmios por seu desempenho na culinária, é mãe de 11 filhos e deixará um legado importante.